Bebês estão nascendo sem os braços na França e governo faz revelação

Os franceses estão preocupados com as estatísticas de bebês nascendo sem braço, o Governo da França está acompanhando os casos e, como não parece se tratar de situações isoladas preparou um comitê especial para investigar os casos e possíveis causas.

Para entender melhor essa questão, só nos município de Morbihan, Nantes e na cidade de Ain, a má formação nos bebês que nasceram sem os braços, entre os anos de 207 e 2014, somaram 14 crianças, mas esse número pode ser ainda maior se estender a observação para todo o país.

Em se tratando de apenas três cidades, esses números representam sinal de alerta de bebês vindo ao mundo com má formação. A proposta do governo francês é descobrir o que está causando essa condição nos fetos, prejudicando a formação dos bebês, saber se é provocado por algumas substância e identificar para evitar novos casos.

Em todo o mundo, indivíduos podem nascer apresentando má formação, doenças congênitas ou outros problemas de saúde, porém quando se observa a recorrência de maneira elevada, como tem acontecido com os bebês, nascendo sem os membros superiores, então é um caso para o governo mobilizar profissionais especialistas para estudar as causas e ajudar as futuras mamães na prevenção. Uma vez identificado o que está sendo responsável por essa dificuldade no desenvolvimento das crianças, então as autoridades terão como intervir cuidando para apresentar soluções.

No dia 12/07, o comitê criado para identificar as causas da má formação, informou que precisa de mais tempo para seguir analisando os fatos investindo não apenas nas possibilidades, mas também de maneira ampla.

A essa altura as mamães grávidas francesas devem estar muito preocupadas com seus bebês, para que já se estão com os meses que permite identificar a má formação nos exames de imagem, os pais de preparam aprendendo a lidar e como cuidar dos filhos quando vierem ao mundo, mas essas dificuldades não podem continuar acontecendo e aumentando.

A probabilidade de achar uma causa comum para estes casos existe, mas é bem pequena”, disse a  médica obstetra ginecologista Alexandra Benachi durante entrevista ao AFP.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Written by Marina Souza

Olaa pessoal! Sou a Marina, amo escrever sobre maternidade, família e noticias de ultima hora, com intenção de colaborar com a sociedade e a família. Amo meus filhos e tenho uma gatinha preguiçosa. Ah ja ia me esquecendo, sou blogueira ha 12 anos.

Bebê é chamada de monstro por causa de sua aparência e mãe desabafa

Menino de 2 anos é mordido por morcego enquanto dormia no berço