MENINO É ACORRENTADO, ESPANCADO E TORTURADO PELA MÃE

Um menino de 7 anos deu entrada na emergência do Hospital de Campina Grande no setor de trauma, ele estava com sérias lesões do espancamento que sofreu pela própria mãe. A criança era uma vítima de violência doméstica sofrendo dentro de casa na cidade de Boqueirão, uma região da zona rural onde ele e a família vivem.

O menino é matriculado e estuda em uma escola pública da região, por isso os maus tratos que o menino sofria foi descoberto. Ele apresentava lesões pelo corpo indicado ser vítima de violência doméstica, funcionários desconfiaram e acionaram o Conselho Tutelar. O menino também deixou de ir ao colégio e o desaparecimento foi preocupante.

Segundo a TV Correio, o Conselho Tutelar contou sobre o sofrimento que essa criança vinha sofrendo nas mãos da mãe biológica, ela o mantinha em condições de cárcere privado, ao ponto de deixá-lo acorrentado e, para piorar o sofrimento, ela batia no filho com cordas e fios elétricos causando lesões e muita dor.

A professora Leila Maria, comentou sobre o caso do aluno; “Ele já vinha sendo assistido pelo Conselho e já havia um processo na justiça, então, diante disso, a gente voltou a chamar. Por ser mãe, eu não quis me calar, então resolvi falar, porque a gente tem que fazer a nossa parte”.

O diagnóstico do menino no hospital foi de sinais de queimaduras pelo corpo, anemia profunda, desnutrição e diversos hematomas. Para recuperação, o menino teve de ficar hospitalizado para tratamento, o quadro de saúde é tão delicado que não há previsão de alta.

 A polícia está investigando o caso e tomando as providências cabíveis, conforme o delegado informou que a mulher pode responder por crime de tortura e tentativa de homicídio qualificado.

“A Polícia Civil iniciou as investigações para apurar a tentativa de homicídio qualificado pela tortura contra a criança, por parte da mãe. A criança estava com várias agressões pelo corpo e num estado de desnutrição total. Ficou colhido pelas investigações que a mãe da criança a agredia constantemente, amarrando-a pelos pés, torturando-a psicologicamente, omitindo a alimentação que a criança merecia, além de queimar o corpo da criança com vela e agredir seus testículos, mostrando claramente a sua intenção deliberada em tortura-lá para obter um mal maior, que seria a morte da criança”,  informou o delegado responsável pelas investigações.


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Written by Marina Souza

Olaa pessoal! Sou a Marina, amo escrever sobre maternidade, família e noticias de ultima hora, com intenção de colaborar com a sociedade e a família. Amo meus filhos e tenho uma gatinha preguiçosa. Ah ja ia me esquecendo, sou blogueira ha 12 anos.

Menino desaparece de acampamento de férias e mãe desabafa

Menino de 1 ano tem intestino rasgado após forte soco do padrasto