Momentos que marcaram o adeus a Gugu Liberato

A morte do apresentador Gugu Liberato anunciada no último dia 22 de novembro, depois de ter sofrido um acidente doméstico em Orlando no dia 20, comoveu o Barsil.

Gugu era querido por toda a população e seu corpo foi velado na Assembléia  Legislativa de São Paulo, Alesp, Zona Sul da capital, de quinta-feira (28), até a sexta (29), quando seguiu com o cortejo até o cemitério Gethsêmani, onde foi enterrado.

Alguns momentos ficarão marcados na emoção das pessoas que acompanharam a cerimênica de despedida pessoalmente ou pela imprensa.

A força do filho mais velho

 João Augusto Liberato,  com apenas 18 anos, assumiu a responsabilidade de resolveu questões burocráticas do translado do corpo e da cerimônia fúnebre, além de se mostrar incansável na despedida do pai.

“Vou honrar seu nome”, escreveu o jovem nas redes sociais.

A dor da despedida da mãe de Gugu.

Maria do Céu Moraes, de 90 anos, mãe do apresentador, chegou ao local de cadeira de rodas e demonstrou toda dor e emoção da mãe que perde um filho. Ela chegou a dizer que gostaria que Deus a levasse junto.

O choro sofrido de Rose a esposa

Rose  Di Matteo, viúva do apresentador e mãe de seus filho, chorava copiosamente e fez um desabafo emocionado sobre o marido.

“Por que você foi para lá? O que você tinha que fazer lá? Estava tudo certo para a gente voltar, estava tudo bem”, diz companheira de Gugu, emocionada, debruçada sobre o corpo do apresentador.

“Eu quero só falar uma coisa para vocês, se hoje eu sou uma pessoa um pouco melhor, eu devo ao Gugu e aos meus filhos e a Deus. Só isso que eu posso falar, porque ele era a pessoa mais linda desse mundo, mais generosa, e agora ele vai ficar aqui [aponta para o coração] e no coração dos meus filhos”, disse Rose aos jornalistas.

A comoção dos fãs

Milhares de pessoas compareceram ao local para prestar a última homenagem ao apresentador, e deram demonstrações de amor e carinho à Gugu.

As musas da banheira foram prestar homenagem.

Um quadro que ficou na memória do público, foi a banheira do Gugu, onde várias modelos ficaram famosas, e elas foram ao local dar adeus.

A modelo Luiza Ambiel chorou ao lembrar de Gugu Liberato antes de entrar no velório do apresentador. Luiza ficou famosa como “musa da banheira”, no quadro “Banheira do Gugu”, que protagonizou no SBT em que lutava com outros homens que tentavam pegar sabonetes jogados na água.

“Ele gostava muito desse quadro”, disse Luiza. “Quando ele trouxe ninguém sabia ao certo o que fazer. Aí falaram ‘afoga o cara’. Eu pedi pra fazer. Ele gostava de todos os quadros, mas a banheira era especial.”

Vários amigos revelaram momentos com o amigo.

Mara Maravilha disse: “Gugu era sorriso. Ele gostava de abraçar. A recordação que tenho dele é de amizade. Perdi poucas pessoas na vida, minha mãe e o Gugu. Ele era um irmão pra mim. Convivi mais com ele do que com meus irmãos. Nós temos que lembrar dele com doçura. Ele cantava ‘meu docinho’ . E gente não esquece do abraço, da pessoa que gostava de abraçar.”

“A gente vai levar esse exemplo que o Gugu era nos nossos corações. Ele era amado por todo Brasil”, disse Sabrina Sato.

Apresentadora  Eliana destacou: “É um momento de oração, de força, de fé. O Gugu sempre teve um excelente caráter, uma pessoa que vai deixar saudades não só pros amigos próximos, mas pra quem acompanhou a trajetória profissional dele. Realmente era uma pessoa diferente. A gente está comovido porque ele partiu muito rápido, precocemente, de uma maneira que ninguém esperava. Se tem uma lição que ele deixa é que tem que aproveitar hoje, o agora.”

 Helen Ganzaroli também chorou ao se deparar com o caixão com o corpo de Gugu Liberato. “Chorei horrores”, disse Helen. “Eu trabalhei até 2009 com ele. Sou grata a tudo o que ele fez pela minha carreira ele é generoso ele me deu essa visibilidade toda viajando o Brasil. Me dava muitos conselho, uma vez eu cai e fiquei machucada e ele falou pra eu não falar que foi minha mãe que me bateu. Ele vai deixa muita saudade.”

Rodrigo Faro destacou: “Deus quis que eu ocupasse o espaço dele no domingo e eu tive a oportunidade de dizer muito obrigado para ele. A última vez foi em Orlando. Ele nunca fez nada de mal pra ninguém e a resposta está aqui, milhares de pessoas na chuva para homenagear. Essa é a melhor resposta esse dia triste chuvoso e essas pessoas todas aqui.O legado que ele deixa é de amor.”


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Written by Professora Marta S. Carvalho

Professora Marta de Ciências Sociais na faculdade Paulista em São Paulo e Jornalista de paixão.

Pai solteiro adota menina com Síndrome de Down rejeitada por 20 famílias

Mulher acorda do coma para amamentar filha de dois anos