“Quero botar fogo nela viva e rir”, ameaça ex-marido em áudio

Segundo matéria do site Metrópoles, Carlos Eduardo Soares de Farias, de 38 anos, é investigado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) por ameaça de morte à ex-mulher e a família dela.

“Eu ainda quero botar fogo nela viva, olhar pra cara dela e rir”, declarou o motorista de aplicativo.

O homem que fala com uma amiga, em mensagens de áudio de WhatsApp, fala que odeia a ex-mulher e que sente que as facadas que deu nela não conseguiram matá-la, e o teor das ameaças causaram revolta em internautas.

Ele diz que ela o deixou na ‘merda’, quando o internou e que então ele já resolveu que a mataria, e que depois se mataria.

Ele diz também que ela não terá mais paz, que assim como ele é foragido da justiça, agora ela também será.

Ele diz que a odeia tanto que “queria arrancar cada pedaço do corpo dela”.

Familiares contam que o ex-casal ficou uns 12 anos juntos, e que ela quis terminar o relacionamento porque ele se envolveu com drogas e ilícitos.

Depois ele a atacou com uma faca e ela ficou alguns dias internada no Hospital Municipal da cidade e outros dois no Hospital Santa Lúcia, em Brasília. Depois disso, as ameaças continuaram, relatam os conhecidos.

“Eu odeio muito essa mulher. Se eu pudesse arrancar cada pedaço dela, empanar e ficar olhando todo dia, pra mim isso seria um troféu”, disse o motorista no áudio. “Já estou aqui, próximo dela, e só estou esperando a hora exata para agir. Eu não vou ter dó. Vou meter uns três tiros na cabeça dela e um na minha.”

As ameaças feitas por Carlos se estenderam aos familiares. “Não só ela. Mesmo se ela fugir, vou conseguir levar pelo menos uns três da família dela. Pelo menos uns dois, é certeza. Já sei do horário, onde trabalham, já sei tudo”, afirmou. “Queria pelo menos uns dois, pra ela sentir na pele e ver que não destruiu somente a minha vida: destruiu a vida dela e a deles.”

O laudo médico da internação após o ataque, aponta que, além das demais lesões causadas, o lóbulo da orelha da mulher foi arrancado durante a tentativa de feminicídio. As facadas perfuraram a região do tórax. Em depoimento aos policiais militares de Goiás que atenderam a ocorrência, a vítima afirmou que as agressões se iniciaram sem discussão ou motivo aparente.

A identidade da vítima foi preservada e ela e seus familiares estão escondidos.

Ouça os áudios divulgados pelo Metrópoles


Qual sua opinião? Escreva abaixo👇

Written by Professora Marta S. Carvalho

Professora Marta de Ciências Sociais na faculdade Paulista em São Paulo e Jornalista de paixão.

Kate Middleton ganha honraria e Internet vê tentativa de abafar suposta traição

Fogaça apaga foto polêmica e tenta se explicar: ‘sou pessoa do bem’